facce

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

ELEIÇÕES PROPORCIONAIS DE VEREADOR 2016, POUCA RENOVAÇÃO EM NOSSA COMUNIDADE.

Uma eleição diferente em relação aos anos anteriores marcou a disputa entre candidaturas, partidos e coligações este ano em Salvador e de todo Brasil. Algumas restrições impostas pelo TSE – Tribunal Superior Eleitoral como, proibição de doação financeira de empresas, regulamentação de materiais de propaganda e a redução do período da campanha para 45 dias fizeram a diferença.


O resultado favoreceu os vereadores que tinham base eleitoral ou os que realizaram projetos vitoriosos nos últimos quatro anos. Ouve apenas 35% de renovação na câmara Municipal e os “novos edis” não são assim tão novos dentro da militância Política. 


O veterano vereador Alfredo Mangueira conquistou mais um mandato e foi um dos parlamentar que se manteve por mais quatro anos na câmera.Mangueira fez um trabalho reconhecido pelos moradores do bairro, principalmente porque não teve outras lideranças para lhe fazer frente. Seu trabalho no bairro da Liberdade tem como base a valorização da cultura baiana e nos demais bairros utiliza: pavimentação asfáltica, iluminação pública e apoio aos problemas dos bairros identificado pelas suas lideranças.

Dos 15 novos vereadores eleitos cinco estão ligados a movimentos populares ou grupos religiosos, outros cinco são filhos ou tem irmãos políticos, três são ex-vereadores e dois são músicos. O cantor Igor Canário, foi talvez uma exceção de renovação, mesmo participando do pleito  primeira vez, contou com o apoio de ACM NETO. Canário atribuiu sua vitória nas urnas ao trabalho realizado pelos seus seguidores nas redes sociais.

O Ex - campeão de boxe e atual treinador de MMA(Mixed Martial Arts), Luis D'orea tentou se eleger pela segunda vez, mas não conseguiu mandato. Mesmo para uma personalidade conhecida, mora no bairro, tem projeto social de inclusão de jovens no mundo do boxe e de  recursos, ainda não foi dessa vez que D'orea teve exito.

O Partido Verde acolheu o vereador Carballal entre seus representantes, após ele ser expulso do PT por divergências. O problema era que ele sempre apoiava projetos patrocinados pelo prefeito ACM Neto, mesmo estando na oposição.

Aqui no bairro ele vem dando e recebendo apoio de padre Alfredo, instalou a Escola Municipal da Cidade Nova no anexo ao Santuário Cristo Rei e está sempre presente nos principais eventos promovidos pela paróquia.
Sendo bom de briga como tem demostrado, esperamos que ele continue nos surpreendendo com ações que repercutam em Salvador, a exemplo da urgente condução de nossos grandes problemas ambientais: a contaminação das praias e da bela cachoeira do Parque de São Bartolomeu, entre outros. 
Lau, Sra. Lauriete, Neto

Laudelino Conceição - Lau contou com o apoio do prefeito ACM Neto, fez um belo evento na sede dos Apaxés uma semana antes das eleições, mas obteve a menor votação dos últimos tempos ( 3.448 votos) e não consegui retornar á câmara.

A base política de Lau corresponde aos bairros de P Miúdo, Cidade Nova, Caixa D'agua, Liberdade, onde foi registrado o maior percentual de votos válidos 55%, pouco mais de 1.907 votos. Seus antigos, seguidores, estranharam  o pífio desempenho e ate confessaram nem saber que Lau era candidato, pois não viram sua propaganda e nem vislumbraram ações concretas nos últimos quatro anos.



2 comentários:

  1. Gostei da sua análise. Sabemos que o sistema manteve alguns no poder. Tenho reservas. Qto a Alfredo Mangueira e Carbalal. Qto ao nosso amigo Lau cometeu o mesmo erro fez uma campanha timida. Ivo Kanario entrou apenas para tirar votos e consegui agraças a identificação com parte jovens das periferias ("tudo nosso, nada deles").

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo Carlos vc como sempre tem razão.Faltou inspiração para nosso amigo Lau ter um resultado melhor este ano.J´a o Canário me parece que provou ser competente, pois surfou na onda do prefeito e conquistou uma vitoria significativa.Abraços!

      Excluir